Marketing de Conteúdo: a tríade da mensagem

Marketing de Conteúdo: a tríade da mensagem

Marketing de Conteúdo: a tríade da mensagem

Trabalha com Marketing de Conteúdo? Então é bom considerar os pontos abaixo.

Texto não é conteúdo.
Vídeo não é conteúdo.
Imagem não é conteúdo.
Áudio não é conteúdo.
Gif não é conteúdo.

Calma, no vídeo abaixo eu explico um pouco melhor.

Marketing de Conteúdo não é sobre formatos

Pronto. Agora respira, inspira e espera, que eu já explico melhor o porque eu disse que nada disso é conteúdo. Afinal de contas, é bem possível que você já esteja me chamando de doido ou que já esteja pronto para comentar, discordando das afirmações acima.

Texto, vídeo, áudio, imagem, e gif são formatos. São os formatos que as plataformas nos disponibilizam para compartilhar uma mensagem. E agora, sim, se estamos falando de uma mensagem, começamos a falar sobre conteúdo.

A essência do Marketing de Conteúdo, embora ainda se confunda na cabeça de muitos produtores, que ainda ficam presos a pensar em formatos antes do contexto e da essência da mensagem (olha ela aí novamente) é natural.

Marketing de Conteúdo não é sobre formatos

Estudar e entender muito bem todos os formatos disponíveis é obrigatório para o profissional que trabalha com Marketing de Conteúdo. Você não pode ignorar os formatos, eles são as partes responsáveis por dar forma e transmitir a mensagem proposta dentro das suas estratégias, sejam elas comerciais, institucionais ou pessoais.

Todo conteúdo precisa, antes de “forma”, ter uma essência, um objetivo claro na mente de quem produz, sobre qual o efeito aquela mensagem precisa causar no “receptor” e se esse “efeito” condiz com a proposta do conteúdo. E claro, posicionamento de marca do cliente.

Começar uma estratégia de Marketing de Conteúdo pensando logo de “cara”nos formatos, provavelmente a mensagem tende a se replicar com mais facilidade, engessando outras possibilidades que poderiam ser aplicadas de maneira mais criativa.

 

Marketing de Conteúdo: narrativa, essência e propósito

Essa, na minha humilde opinião, é basicamente a tríade responsável pela construção de qualquer mensagem que tenha como objetivo comunicar algo, independente do segmento de atuação.

Se você produz conteúdo, em qualquer nível (profissional ou pessoal) entender que a sua narrativa precisa envolver, vai te dar um direcionamento mais maduro sobre o que você produz.

A essência é o coração da mensagem e precisa ter coerência com o seu objetivo, para que a narrativa continue pulsando e com vida ao longo da sua estratégia.

Para finalizar, a terceira parte da tríade e, não menos importante: os propósitos. Compreender, não só os propósitos da sua comunicação, mas como o seu conteúdo se comportará e existe coerência com o meio em que você compartilhará a mensagem.

Entender o propósito do meio é fundamental para que no fim, você consiga analisar tudo que foi produzido e colher os resultados, para que seja possível realizar ajustes necessários e tomar novas decisões sobre o direcionamento que a sua mensagem está tomando e se ela está cumprindo com o objetivo proposto.

Bom, a única e mais valiosa das dicas que eu faço questão/preciso deixar aqui, é: Não existe receita de bolo. Marketing e Produção de Conteúdo. Exige estudo. Muito estudo.

 

Não existe guia definitivo

O bom profissional de conteúdo precisa, antes de querer vender usando conteúdo, entender que toda mensagem que você produz, principalmente quando existe um objetivo comercial, vai ser responsável pela voz da marca, e interferir diretamente no posicionamento e na construção de imagem dela ao longo de cada publicação, independente do formato.

Se tudo isso que você leu, leu parece completo ou romântico demais, fique de olho no blog, que em breve terei novidades: finalmente vou colocar no mercado o meu curso sobre Planejamento e Produção de Conteúdo.

Se você leu até aqui, muito obrigado pela sua atenção e até o próximo conteúdo.

COMENTÁRIOS

WordPress: 0