A Morte do Social Media: por que você cobra o que cobra?

A Morte do Social Media: por que você cobra o que cobra?

A Morte do Social Media: por que você cobra o que cobra?

Não é a minha ideia abordar precificação neste conteúdo.

É muito assunto que renderia uma série de 100 vídeos. No entanto, é algo delicado de se abordar com uma visão engessada.

O meu intuito com este conteúdo é apenas levantar alguns pontos críticos que tenho observado no comportamento de algumas pessoas no mercado digital. Principalmente vindo dos marinheiros de primeira viagem.

Se o cliente te perguntasse: “Por que você está me cobrando X reais?”, você saberia quantificar isso de maneira clara para ele, ou você ouviu dizer que o mercado está cobrando isso? Assista o vídeo.

Desculpa, mas não existe uma tabela no mercado de Mídias Sociais.

Existe precificação baseada em escopo de hora trabalho. Essa é, na minha opinião, a maneira mais madura e transparente de se cobrar por um serviço que será prestado com mídias sociais.

No JobCast 59, abordei alguns dos principais erros de precificação de projetos digitais, se tiver um tempinho, vale a pena conferir.

Se você for empresa/agência, a minha dica é simples: conheça o mercado, mas não use como base o preço da concorrência.

Muita gente faz isso e, definitivamente, a não que seus custos sejam equivalentes ao da concorrência, estará tomando uma decisão delicada e equivocada.

A base da precificação de uma empresa precisa partir dos seus custos.

Caso você seja freelancer, a precificação se torna um pouco mais simples de ser feita, no entanto, ainda sim você precisa fazer contas. Contas básicas, mas precisa.

Eu não sou a favor de ferramentas para precificar o seu serviço. Tenho pra mim que, se você não sabe quanto cobra, você não sabe muito bem o que está fazendo.

Cobrar o mesmo que o amiguinho pode ser a melhor forma de trabalhar muito e ganhar pouco. Por que estou dizendo isso? Por que errei muito nessa questão.

Já, como dizem por aí, “troquei cebola” demais nesse mercado. Hoje, o mínimo que eu prezo quando vou precificar um serviço, seja na agência ou em uma consultoria, são as minhas horas dedicadas à cada projeto.

Procure entender que cada projeto é único e cada cliente tem um expectativa. Não dá pra tabelar um projeto digital seguindo ferramentas ou tirar como base o que outras pessoa cobra.

Você precisa conhecer o que o mercado cobra, sim. Isso vai te dar um norte e vai te mostrar se a sua realidade se encaixa com aquele mercado.

Espero que tenha gostado da dicas e até o próximo conteúdo.

COMENTÁRIOS

WordPress: 0